TIPOS DE IMUNOGLOBULINAS

LINFÓCITOS B


Os Linfócitos B são produzidos na medula óssea e, também, permanecem durante sua maturação. Após a maturação, os LB migram para os órgãos linfóides secundários pela via hematogênica. Estes LB quando ativadas e diferenciados vão dar origem aos anticorpos (AC).


ATIVAÇÃO DOS LINFÓCITOS B

A imunidade humoral, a qual os LB são responsáveis, é caracterizada pela produção e liberação de AC que tem funções específicas, como: a neutralização, ou até mesmo, a destruição de antígenos (AG) contra os quais foram gerados. É necessário a ativação desses, para ocasionar o processo de proliferação e diferenciação, que acarreta na geração de plasmócitos com produção de imunoglobulinas com alta afinidade para o epítopo antigênico que originou a resposta. Para dar início a esse processo, torna-se essencial que o receptor do Linfócito B (BCR) ligue-se a um epítopo antigênico, o que desencadeia uma sequência de eventos intracelulares. Também é necessário um segundo sinal ativador, além do reconhecimento do antígeno.


Os LB também podem atuar como células apresentadoras de antígeno, após interiorizar e processar o antígeno ligado ao receptor de superfície (BCR). Os peptídeos gerados pelo processamento são expressos na membrana dos LB ligados às moléculas do complexo maior de histocompatibilidade (MHC) classe II, para apresentação aos LTCD4+ (auxiliares). A interação do complexo peptídeo/MHC classe II com o receptor de LT (TCR) inicia uma cadeia de eventos que levam os LT auxiliares à expansão clonal e produção de citocinas que estimulam a proliferação e diferenciação dos LB.


Para ocorrer a ativação e diferenciação dos LB, podem ocorrer esses processos:

  • Ativação pelo complemento: proteínas do complemento fornecem sinais secundários para ativação por meio do receptor para o fragmento C3d, denominado CR2 ou CD21, expresso na superfície dos LB. O CD21 forma um complexo com outras duas proteínas de membrana, CD19 e CD81, permitindo o reconhecimento simultâneo do C3d e do antígeno pelo BCR. Esta ligação promove o início da cascata de sinalização de ambos os receptores, gerando uma resposta muito maior se comparada à resposta do antígeno não ligado à molécula C3d;


  • Ativação T Dependente: Os LT expressam na sua superfície moléculas CD40L, que interagem com seu ligante, CD40, presente na superfície de LB, e assim, expressam também CD28 que se liga às moléculas B7-1 (CD80) e B7-2 (CD86), cuja expressão na membrana dos LB ativados é significantemente aumentada. Esses dois pares de moléculas, CD40/CD40-L e CD28/B7, permitem a transmissão dos sinais de estímulo e induzem a produção de enorme variedade de citocinas;


  • Ativação T Independente: Alguns antígenos podem estimular a produção de anticorpos na ausência total ou relativa de LT, geralmente são moléculas não proteicas, poliméricas, que estimulam a produção de Ig de baixa afinidade pertencentes, na sua maioria, à classe IgM. Como, geralmente, não há ativação de LT, não serão geradas as citocinas necessárias para a mudança de classe, maturação de afinidade ou formação de LB de memória. Raramente na resposta a antígenos T independentes ocorre mudança para outros isotipos.


CARACTERÍSTICAS DAS IMUNOGLOBULINAS


As imunoglobulinas têm a composição em cada molécula de:

  • Duas cadeias pesadas

  • Duas cadeias leves

  • Ligação entre ambas por pontes dissulfeto.

Existem cinco tipos de cadeias pesadas denominadas α, γ, δ, ε e μ, que definem as classes de imunoglobulina IgA, IgG, IgD, IgE e IgM. As cadeias leves são de dois tipos, κappa (κ) e lambda (λ). A especificidade de ligação ao antígeno é definida pela porção variável da molécula, conhecida como Fab, constituída pela união das regiões variáveis das cadeias leve e pesada da imunoglobulina.


Características básicas das classes de imunoglobulinas. Fonte: JÚNIOR, 2010.



MUDANÇA DE CLASSE DE IMUNOGLOBULINAS


Existe a etapa de diferenciação das imunoglobulinas que caracteriza-se por alterações significativas na morfologia dos LB e também pela troca da porção constante da cadeia pesada de IgM ou IgD para IgG, IgA ou IgE, processo conhecido como mudança de classe. Nesse rearranjo, as porções variáveis das cadeias pesada e leve permanecem as mesmas e consequentemente a especificidade antigênica do anticorpo não é alterada, mas a resposta imune torna-se mais diversificada, uma vez que as diferentes classes de Ig apresentam diferentes características funcionais.


Como ocorre?

  • Sinal gerado pela interação das moléculas CD40, presente nos linfócitos B, e CD40L, presente nos linfócitos T.

  • Citocina liberada no ambiente vai indicar qual classe o anticorpo vai assumir

Assim, de acordo com o tipo de citocina liberada e esse sinal gerado por CD40/CD40L, o anticorpo assume outra classe.



12 visualizações

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Instagram
  • Facebook

CONTATO:

(61) 98166-9954

E-mail: anvieducacao@gmail.com

Todos os direitos reservados © 2020 por ANVI EDUCAÇÃO. CNPj: 33.100.241/0001-61